O ESTREITO CAMINHO DA MORTE DE GILMAR MENDES TRAÇADO PELO RODRIGO JANOT EX PGR


O estreito caminho da morte e o plano para matar o Ministro Gilmar Mendes traçado pelo Ex-Procurador Geral da República Rodrigo Janot, mostra o lado obscuro da nossa (IN)justiça e o quão desmoralizada essa mesma “justiça” está. O plano macabro e arquitetado pelo Janot por pouco não foi executado. Digamos que Deus pôs a mão no meio para que o Gilmar Mendes não levasse um balaço na cara (que santo forte).

No dia 11 de maio de 2017, o então procurador-­geral da República, Rodrigo Janot, o chefe da operação em Brasília, tinha ido a uma sessão do Supremo Tribunal Federal (STF) decidido a executar o ministro Gilmar Mendes. O plano dele era dar um tiro na cabeça do ministro e depois se matar (Sinistro).

Quando estava a cerca de 2 metros de distância de Gilmar Mendes, na sala reservada onde os ministros se reúnem antes de iniciar os julgamentos no plenário, Janot sacou uma pistola do coldre que estava escondido sob a beca e a engatilhou, (foi ai que o santo oculto de Gilmar Mendes entrou em cena).

A decisão de matar o Gilmar veio quando foram publicadas notícias de que a filha de Janot era advogada de empreiteiras envolvidas na Lava-­Jato, o que por analogia, também colocaria o pai na condição de suspeito. O procurador identificou Gilmar Mendes como origem da informação e tomado pelo ódio, decidiu matá-lo.

O plano não foi executado, por pouco, mas a história foi relevada em uma entrevista surpreendente pela revista VEJA. Se no judiciário brasileiro os juízes estão agindo assim, avaliem como deve está os mais de 300 nomes de políticos envolvidos ou citados na lava jato.

Essa reportagem veio ao ar de forma estratégica, logo após os Ministros do STF fazerem o circo pegar fogo ontem, em Brasília, após votarem a favor da tese que pode anular casos da operação, com base no entendimento de que o delator e o delatado são réus diferentes e, portanto, o acusado tem o direito de se defender após a acusação.

Em menos de três dias, a operação lava jato sofreu uma série de derrotas proferidas em decisões pelos ministros do STF. O que assusta é o silêncio atônito da população em ver todo um trabalho de anos que vem surtindo um grande efeito, ser desmontado por juízes que estão descompromissados com a verdade e a revelação dos crimes neste país.

Até quando o STF irá legislar contra a nosso povo, contra nossa constituição e o nosso código penal?



#STFVergonhaNacional

Fontes: VEJA, Metrópoles, Exame
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *